Newsletter

Cadastre-se e receba todas as novidades

Conheça a hamburgueria vegetariana que está conquistando o Brasil

Publicado em 28 de Jul de 2017 por Giovanna Henriques |COMENTE

Nascida no Rio, a Hareburguer tem um cardápio completamente livre de carne animal



Texto Marcelo Casagrande | Adaptação Giovanna Henriques | Foto Marcela Pin

hambuerguer

A receita de sucesso surgiu com ingredientes não tão convencionais:a despretensão de um jovem universitário carioca que cursava comunicação social e a vontade que ele tinha de fazer uma viagem para a Bahia. O tempero foi a ideia de vender sanduíches nas praias cariocas. O único detalhe é que a grana era curta: na carteira, apenas R$50 que vieram de um empréstimo feito com uma das avós.

Quando Raphael Krás se lembra dessa história, vê um filme passar diante dos olhos. “Tinha apenas 19 anos e nem sabia muito bem o que queria da vida”, brinca o empresário que hoje está com30 anos e comanda a rede de hamburguerias vegetarianas Hareburger. A carreira na comunicação foi interrompida logo no fim do primeiro dos quatro anos da faculdade.

Nada de jornalismo ou publicidade e propaganda. Krás não sabia ao certo o que o futuro reservava. Desde então, dedicou-se integralmente ao negócio, que exigiu um olhar atento e participação em cada um dos detalhes, incluindo o nome que surgiu de uma inspiração no Hare Krishna, um movimento indiano que tem adeptos em várias partes do mundo. Os integrantes da corrente são vegetarianos, assim como o cardápio do Hareburger, que só tem receitas que não levam carne animal. “Foi uma espécie de agradecimento ao Universo pelas energias positivas ao longo da jornada”, afirma.

MUDANÇAS

De 2006, quando os hambúrgueres vendidos na praia deram origem à marca, até hoje, são dez lojas em operação. A maioria no Rio de Janeiro. A última delas foi a primeira a ser instalada em São Paulo. “Hoje olho para o início da rede Hareburger e vejo quantas batalhas precisamos enfrentar para que um negócio tenha sucesso.

A receita é não se esquecer das raízes, que foram marcadas pela simplicidade”, comenta o executivo que passou a usar o apelido de Hare Rapha. Antes de desembarcar na maior cidade do Brasil – São Paulo – a rede inaugurou unidades na região serrana do Rio –Petrópolis – e na capital fluminense. Um dos endereços foi a Praça XV, região que passou por revitalização recente e que fica no centro da Cidade Maravilhosa.

Neste caso, foi o primeiro truck fixo da marca que até então operava apenas em lojas tradicionais. Ao avançar pelas divisas do sudeste, a rede de franquias espera levar aos quatro cantos do País o conceito da marca e o cardápio vegetariano que colocaram o Hareburger como referência neste segmento no franchising.

A meta de expansão é ousada: até o fim de 2017 a expectativa é estar com 15 unidades em operação e até 2022 atingir a marca de 150 hamburguerias no País. No mapa da expansão estão capitais brasileiras, além de cidades de médio porte no interior do Brasil. O crescimento do número de unidades tem sido feito por meio de franquias que exigem investimento inicial que varia de R$300 mil a R$500 mil. Tudo depende do ponto de venda e do tamanho da unidade. A rede calcula que, em média, cada franquia fature cerca de R$100 mil por mês, o que representa um lucro que varia de R$10 mil a R$15 mil para o franqueado. Quem tem interesse em fazer parte da rede tem que se planejar, afinal, o prazo médio de retorno pode chegar a 36 meses.

EM MOVIMENTO

Como parte da estratégia, Krás revela que deve dar mais um passo na consolidação da marca perante o público, que exige cardápios variados e completamente livres de produtos de origemanimal. “Ainda no segundo semestre, vamos remodelar nossos pratos e apostaremos em um cardápio 100% vegano”, diz o idealizadorda marca que vende ainda saladas, petiscos sucos e açaís. O primeiro item com o conceito vegano surgiu em 2016 e recebeu o nome de Quinoa Solar Vegano. A receita leva hambúrguer à base de quinoa e batata-doce, queijo vegano, molho de semente de papaia e salada. “Com esta receita, o Hareburger reforçou seu pioneirismo no ramo, ocupando uma lacuna no mercado de alimentação rápida”, comemora o executivo.

Krás quer conquistar esse público que é crescente. Em terras brasileiras, a Sociedade Vegetariana Brasileira estima que existam cerca de 15 milhões de pessoas adeptas de cardápios vegetarianos, e 5 milhões delas se recusam a comer qualquer preparação que leve produtos de origem animal. Apesar de não existir pesquisas oficiais, é possível ter ideia do avanço desse hábito alimentar quando olhamos para números de outras partes do mundo. Nos EUA, por exemplo, dados do Instituto Harris Interactive mostram que metade dos 16 milhões de vegetarianos se declara vegana. Já no Reino Unido, o Ipsos Mori Institute aponta que três em cada dez vegetarianos se dizem veganos.

Revista Gestão & Negócios Ed. 101


COMENTE