Newsletter

Cadastre-se e receba todas as novidades

O que a gestão de inovação pode fazer pelo seu negócio?

Publicado em 06 de Aug de 2017 por Giovanna Henriques |COMENTE

A gestão da sua empresa age de maneira correta?



Texto Edson Fermann* | Adaptação Giovanna Henriques | Foto Shutterstock

\"empresa\"

Ao abrir uma empresa você pensa no “core business” daquele segmento como um modelo de negócio rentável ao investimento aplicado, além da lucratividade que a empresa irá gerar.


Entender a atuação de cada profissional dentro da empresa é, sem dúvidas, uma boa estratégia para crescer. Entender o papel de cada um também. Por isso, optar por um levantamento de gerencial, diagnóstico, dentro de uma companhia ajuda a detectar pontos importantes para sobreviver e crescer a tempos difíceis.
 
Alguns sintomas de uma empresa que precisa de diagnóstico de gestão:

• A empresa não passa por um bom momento. Os funcionários sabem, mas não há uma movimentação para tirá-la da situação;

• Erros são abafados por funcionários e superiores;

• Procrastinação no ambiente de trabalho;

• Dos líderes aos liderados, não existe motivação;

• Os relacionamentos entre as equipes estão cada vez mais frios;

• O cansaço é comum entre os funcionários;

• Não há mais respeito hierárquico;

• Competição, ciúme e falta de ajuda entre colaboradores é recorrente;

• Os líderes não já não se importam com os desejos profissionais das pessoas;

• Os problemas da empresa se tornam papo do happy hour e dos almoços;

• Ninguém aceita mudanças necessárias para sobreviver aos tempos difíceis. 


A boa notícia que com a orientação correta, o treinamento adequado - voltada a fazer da inovação um elemento da estratégia empresarial - o seu negócio pode atingir um alto potencial de crescimento. Como?
 
• Diagnóstico da empresa

• Criatividade e cultura de Inovação

• Estruturar um modelo de negócio mais inovador

• Financiamento

•Coaching

• Elaboração de estratégias futuras 
 
 Mas o que é gestão de inovação para uma empresa e como aplicar as estratégias para alcançar os objetivos de crescimento e visibilidade que o negócio precisa?


Edson Fermann, sócio-diretor da empresa de consultoria Indexare, que também realiza mentoria a startups, como no Programa InoVativa Brasil, do MDIC e no Speed Mentoring Woman Tech, da Escola de Negócios do Sebrae SP, com know-how em gestão de inovação, ajuda esclarecer a questão. “Há várias formas de fomento, técnico (ter o apoio do SENAI para melhorar o processo ou o produto) e financeiro (ter o apoio da FINEP ou FAPESP para desenvolver produtos, por exemplo), para inovar”.

O gestor das empresas de pequeno e médio porte, precisa compreender que a saída para não morrer é inovar continuamente, encantando o seu cliente, fazendo diferente e melhor que seus concorrentes. Por isso, a preocupação da nossa empresa de consultoria INDEXARE, através de profissionais especializados em gestão de inovação e informação, é levar os pequenos negócios para o caminho da inovação”. Afirma.
 
Segundo Edson, que também foi Diretor Técnico do Sebrae – SP e gerente de Inovação e Tecnologia do Sebrae Nacional, acredita que somente com a implementação de inovações tanto nos produtos (bens ou serviços), nos processos, na gestão empresarial e no marketing, é que irão possibilitar o acompanhamento e a adequação às demandas do mercado, com competitividade, o que constitui a necessidade imperiosa de transformar e inovar para garantir o sucesso da empresa. “A empresa necessita verificar continuamente se seu Modelo de Negócio está adequado as necessidades de seus clientes ou em razão da concorrência ou novas tecnologias necessita inovar”, complementa.
 
Com as mudanças no mercado de trabalho, aliado ao mercado tecnológico cada vez mais presente nas empresas, é comum as PME traçarem estratégias para se tornarem competitivos nesse mercado. Porém, muitos desses novos empreendedores não sabem por onde começar. “Ao ouvir empresários falarem que suas empresas necessitam ser competitivas, sempre pergunto ‘você entrega o produto (bens/serviços) com valor percebido pelo cliente? E como resposta vem o silencio”.

A inovação tem tudo a ver com os pequenos negócios, que não necessitam de departamentos ou centros de PD@I estruturados para aumentar as possibilidades de realizar parcerias e, com os centros de conhecimento para potencializar os produtos da empresa, para que seja reconhecido pelo cliente final.


 “Toda empresa, qualquer que seja o seu ramo, tem o mesmo desafio de encantar continuamente os clientes para que o negócio se desenvolva de modo que os lucros apareçam, essa visão precisa ser adotada”. Finaliza Edson.
 
Edson Fermann, também é engenheiro especializado em gestão de projetos, tendo trabalhado em projeto internacional com chancela do BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento e na área de tecnologia de FIESP – Federação das Indústrias do Estado de São Paulo.


COMENTE