Newsletter

Cadastre-se e receba todas as novidades

3 dicas de como criar conteúdo online relevante

Publicado em 07 de Jul de 2017 por Giovanna Henriques |COMENTE

Não existe fórmula exata para criar conteúdo online relevante, mas atenção e estudo são fundamentais



Texto Marcie Gottschalk* | Adaptação Giovanna Henriques | Foto Shutterstock 

conteúdo online

Não existe fórmula para criar conteúdo online relevante, mas atenção e estudo são fundamentais. Estar sempre atento ao público e na adesão dos seus materiais são pontos importantes. A partir dessa análise contínua é possível definir o que está dando certo, o que necessita de ajustes e o que precisa de novas estratégias e abordagens. Cada dia mais pessoas e corporações se adequam aos modelos de marketing de conteúdo. Não à toa: de acordo com o Economist Intelligence Unit, até 2020, 80% de toda a informação consumida no mundo será digital.

 Com um cenário promissor, é necessário aproveitar todo o potencial que esse segmento pode oferecer, garantindo sua presença no mercado em longo prazo. Apesar de parecer simples, criar material de qualidade exige planejamento, análise e conhecimento

 

1.Conheça seu público

O primeiro passo é a definição de personas, ou seja, o público-alvo. É pensar com quem você quer falar ou já está tratando e saber o que essas pessoas consomem, quais as suas realidades, gostos e interesses. A partir dessas informações é possível definir qual a melhor abordagem para se manter engajado com sua audiência.

2. A escolha das mídias

 Um estudo realizado pelo Google e Advertising Age revelou que mais de 90% dos consumidores entrevistados se comunicam com marcas e empresas no ambiente virtual. Com a grande adesão das mídias, é comum que as companhias acreditem que estar presente em diversas redes é sinônimo de bom resultado, o que nem sempre ocorre dessa forma. A definição de quais mídias serão usadas depende de três fatores: a estratégia, o tipo de relação que a companhia quer construir e quais são os resultados esperados. Ao utilizar o Facebook e o Instagram, por exemplo, é preciso criar um diálogo descontraído e próximo do público. Já no LinkedIn, o tom deve ser maduro e voltado a questões profissionais e corporativas. No caso de blogs, os posts devem ser mais extensos e especializados, enquanto o e-mail marketing é uma boa solução para estabelecer comunicação personalizada, oferecendo dicas, notícias e novidades. Apesar de cada mídia possuir uma proposta específica, é imprescindível ressaltar que elas podem ser combinadas para acompanhar todo o ciclo de relacionamento.

3. Muito além do texto

Depois de definir quem é o seu público-alvo e qual a melhor forma de se comunicar com ele, chega o momento da definição do conteúdo. É possível falar sobre produtos, serviços, visão e valores da empresa, dicas de boas práticas, novidades e lançamentos, temas relacionados com sua área de atuação, notícias de mercado, datas comemorativas e bastidores do dia a dia da marca. Alguns temas podem ser utilizados em mais de uma rede social, sendo necessário que ocorra o ajuste da linguagem e formato para a comunicação em cada um dos meios. O texto digital deve ser fluído e leve, com uma boa escolha de palavras, parágrafos não muito compridos e formatação agradável, para facilitar a leitura. Construir um formato de linguagem própria, que seja reconhecida pelo público durante as postagens, é uma boa maneira de fidelizar os consumidores nos seus materiais e mídias.

*Marcie Gottschalk é responsável por Social Media na Adtail, agência de marketing digital

 A Adtail é uma agência digital especializada em performance que atende anunciantes de diferentes portes e integra a Holding DBG. Conta com profissionais certificados pelas principais plataformas de mídia e analytics e utiliza ferramentas próprias e do mercado para otimizar processos e performance. 

*Marcie Gottschalk é responsável por Social Media na Adtail, agência de marketing digital – www.adtail.com.br


COMENTE