Newsletter

Cadastre-se e receba todas as novidades

Como melhorar as vendas da loja física e virtual

Publicado em 20 de Aug de 2014 por Redação |COMENTE

Veja como a união de loja física e da virtual podem melhorar nas vendas



Texto: Marcelo Casagrande | Foto: Divulgação | Adaptação Web Sara Loup

Como melhorar as vendas da loja física e virtual  | Foto: Shutterstock

Nessa batalha entre o virtual com o físico, quem oferece as duas opções sai na frente e comemora a vitória. É o caso da Caçula Pneus. Foi lá atrás, em 1995, quando pouco se falava em compra on-line, que a empresa decidiu disponibilizar o catálogo de produtos na internet. Uma sábia decisão com quase duas décadas de antecedência. “Nossos clientes, naquela época, já podiam escolher o produto pelo site, comprar pelo televendas e retirar em loja física seu pneu já executando os serviços de montagem gratuita.

Já sabíamos que este seria o futuro consumidor que visitaria uma loja física, mas realizaria a compra em uma loja virtual”, conta a gerente de e-commerce da Caçula de Pneus, Laura Schneider. Laura diz que os produtos e os serviços não são comprados por impulso,desta forma, a empresa aposta em multicanais:lojas físicas, loja virtual e televendas. 

 

As empresas que não possuem a união do físico com o virtual precisam ficar atentas para que, a venda já difícil para esses casos, não vá pelo ralo. A consultora do Sebrae-SP, Caroline Minucci, diz que o primeiro passo a ser tratado é o interno. O empresário deve garantir que o próprio vendedor da loja não “boicote” essa tendência. “Um exemplo pode ser o de dar participação à equipe, ou premiação, também para a venda on-line. Assim, o vendedor não tem a tendência de negligenciar a venda on-line e, muitas vezes, acabar perdendo ambos os negócios”.

Outro ponto é tornar as opções on-line e off-line equivalentes, tanto em preços, quanto em serviços adicionais,pós-venda, troca, etc. O consumidor vai se sentir seguro e decidido a comprar da mesma empresa, independentemente do canal de venda escolhido.

 

Quer ver essa e outras reportagens da revista? Compre essa edição nº 66

 


COMENTE