Newsletter

Cadastre-se e receba todas as novidades

Confira 3 desafios da liderança feminina!

Publicado em 20 de Nov de 2015 por Victoria Ragazzi |COMENTE

A diretora comercial da Equipamed, Thaís Barbosa, fala sobre os desafios de representar as mulheres no mercado de trabalho. Confira:



1. Seja criativa e inovadora:
Pesquisas indicam que a presença feminina em cargos de liderança caiu nos últimos anos, fazendo com que sejam obrigadas a lidar com dúvidas sobre sua capacidade diariamente. Há quem acredite que, para mostrar todo o potencial de liderança em uma mulher, ela precise ser mais criativa que os homens ao seu redor e, principalmente, mais inovadora. Como foi seu início na Equipamed e o que a levou a cargos de liderança? Sua criatividade e inovação foram fundamentais?
Thaís Barbosa (TB):
Depois de trabalhar como estagiária em Design Gráfico em outras empresas, queria trabalhar com desenvolvimento de produtos e, em 2007, ingressei na Equipamed para ajudar no desenvolvimento do layout de um produto que estávamos iniciando na fabricação. Na época, me deparei com um mundo inteiro de possibilidades dentro do Grupo e percebi que meu conhecimento do negócio dos meus pais era extremamente reduzido. Confesso que aquilo me assustou, mas também fiquei decepcionada e frustrada por ser herdeira de uma empresa sobre a qual eu sabia tão pouco. Acho que foi isso que me instigou a permanecer mesmo depois do layout elaborado. Quando dei por mim, estava criando outros materiais gráficos e fazendo a sinalização do nosso prédio. Percebi, então, que precisávamos de uma área de Marketing e fui contratada como estagiária. Desenvolvemos uma série de eventos, convenções, produtos, brindes. Comecei a pesquisar também sobre os clientes e a relação da empresa com eles, a fim de fornecer dados melhores e estratégias de fidelização, que era um grande trunfo do negócio. Ingressei em um curso de Gestão em Marketing na FGV dois anos depois e foi quando me aprofundei na linha de Aleitamento Materno. Em 2009, após montar o Business Plan para um novo modelo de negócio da linha, passei a atuar também como gerente da linha de produtos. Após três anos, entendemos que eu já teria conhecimento para gerir as vendas das outras linhas de produtos junto de uma gerente de vendas recém-contratada. Mais uma vez, implantamos juntas novas estratégias para a área de vendas, remodelando metas e alterando a equipe de vendas e distribuição. Assim, em 2013, fui convidada para dirigir toda a área comercial da empresa, gerenciando, então, as três unidades de negócio (Locação, Vendas e Assistência Técnica), além do Marketing, que ainda continua sob meus cuidados. Nesse meio tempo, aproveitei também para fazer cursos de Administração e Gerência Comercial, ambos na FGV. A inovação sempre esteve presente no meu caminho.


                                               Thaís Barbosa. (Foto: Divulgação)

2. Enfrente a desconfiança: 
Apesar de ter começado “de baixo”, galgando seu desenvolvimento e investindo no conhecimento dentro e fora da Equipamed, precisou enfrentar resistência ou preconceito por parte de seus subordinados ao assumir a “[...] enfrentei todo tipo de picuinha, desde fofoca até a insubordinação, com muitos homens se recusando a se reportar a mim e querendo atravessar a minha posição para resolver algum problema" posição de liderança? Houve algum tipo de desconforto ou dúvida, ainda que velados, por parte de outros funcionários? E como você fez para provar sua capacidade de liderança?
Thaís Barbosa (TB): Enquanto trabalhava na linha de Aleitamento Materno, minha equipe era 100% composta por mulheres. As clientes, por sua vez, eram 90% mulheres também. Por isso, no dia a dia não enfrentei muitos conflitos relacionados a isso de cara. No entanto, o antigo gestor da linha foi muito resistente à mudança, obviamente, e não apenas pela questão do sexo, mas principalmente por assumir uma fragilidade perante a minha idade na época e também por achar que eu só estava recebendo aquela condição por ser a “filha do dono da empresa”. Já na área comercial, enfrentei todo tipo de picuinha, desde fofoca até a insubordinação, com muitos homens se recusando a se reportar a mim e querendo atravessar a minha posição para resolver algum problema diretamente com o presidente da empresa.

3. Supere as expectativas:
Em grande parte das vezes, as mulheres acabam se desdobrando para mostrar a capacidade de liderança e de superação de expectativas. Quais foram as principais mudanças e resultados alcançados que aconteceram na empresa e estão diretamente ligados à sua liderança e execução?
Thaís Barbosa (TB): Desde então, a empresa cresceu em número de funcionários, em faturamento e também se profissionalizou ainda mais. Após a minha entrada, também consegui estruturar novos departamentos até então inexistentes na Equipamed, como Marketing, Recursos Humanos, Compras, Logística, entre outros. Esses fatores obviamente têm um impacto positivo nos processos do negócio como um todo e em seu faturamento. Atualmente, temos alcançado um crescimento de 20% ao ano em média.

Leia mais na edição nº 80 clicando aqui. 


COMENTE